[26-05-13 00:28:55] <darkeyzs> Ouvi dizer, governo foi feito para o povo, tribunais foram feitos para o povo, câmaras for
[26-05-13 00:29:53] <darkeyzs> am feitas para o povo, cidades foram feitas para o povo, empresas foram feitas para o povo
[26-05-13 00:30:18] <darkeyzs> , assembleia foi feita para o povo, políticos foram feitos para o povo, dinheiro foi feito
[26-05-13 00:31:08] <darkeyzs> para o povo, tudo foi feito para o povo....
[26-05-13 00:31:09] <darkeyzs> para o povo, tudo foi feito para o povo....
[26-05-13 00:31:10] <darkeyzs> para o povo, tudo foi feito para o povo....
[22-06-13 23:29:29] <doomknight> tao pa
 
*** INSCREVAM-SE NO FÓRUM PARA RECEBEREM NOVIDADES SOBRE O VAI TUDO ABAIXO E OS HOMENS DA LUTA E PODEREM DAR A VOSSA OPINIÃO! PARTICIPEM!!! ***
 

Bem vindo ao Vai Tudo Abaixo!.
Aqui poderão encontrar aqui tudo sobre o Vai Tudo Abaixo, Homens da Luta, Kalashnikov, Ruce e Reco, Blackskin, Revolta dos Pastéis de Nata, etc... Visitem o Fórum para pesquisar vídeos, e consultem as nossas outras secções, onde poderão dar as vossas opiniões e partilhar as vossas ideias...
Para começarem a ver tópicos, basta seleccionarem-nos dentro dos sub-fóruns abaixo, mas terão de se registar para poderem colocar novas mensagens no Fórum e Chat... Em caso de dúvidas sobre o uso do Fórum poderão consultar a nossa secção de Perguntas Frequentes clicando no link acima.
Atenção: Ao inscreverem-se receberão notícias sobre o Vai Tudo Abaixo via email, se quiserem deixar de receber emails, basta avisar para o email geral com um simples reply ao email para: geral [at] vaitudoabaixo.com (a opção de receber emails do fórum apenas se destina ao fórum).


Críticas e Sugestões Todas as Críticas e Sugestões que nos queiram apresentar...

Responder
 
Opções Display
  #1  
Velho 28-06-2007, 11:01
Gringo Gringo encontra-se desligado
Recruta
 
About:
Data de Adesão: Jun 2007
Localidade: Oporto
Mensagens: 20
Enviar uma mensagem via MSN para Gringo
Por Defeito O SENTIMENTO DAS NOSSAS EX-COLÓNIAS

Meus senhores aqui vai um email que circulou por todo o Moçambique

"BIM: o último baluarte de Salazar

Li, como muitos o fizeram, um texto escrito por um cliente cujo titulo era Coisas do BIM. Em linhas gerais o cliente mostrava a sua indignação pela forma boçal e racista com que foi tratado por um alto quadro desta instituição, que como os números indicam, é o maior banco do país e consta na lista das maiores empresas de Moçambique.
O aludido texto criou-me um duplo sentimento: de satisfação e desilusão. Satisfação porque veio a público a podridão da doentia personalidade dos que detêm as rédeas daquele Banco de capitais Portugueses.
Começa assim um prenúncio da 23 revolução que os Moçambicanos devem se empenhar.
Ficou claro para todos, que o que se passou com este cliente é apenas uma pequena imagem do que acontece em todas empresas em que os gestores são provenientes do país rectangular da Península Ibérica.
Senti-me desiludido porque perante esta ciclópica injustiça, a maior parte de nós mais não fez que reenviar o mail e esboçar um sorriso, como que a dizer missão cumprida. Não! meus irmãos, a missão ainda não está cumprida, não devemos ficar descansados, não devemos pregar o olho enquanto não for eliminado o último opressor, como dizia o saudoso Samora Machel.
Compatriotas! Eu faço um apelo: temos que completar a nossa independência, façamos uma revolução cultural.
Existe um chavão muito propalado que diz que o Moçambicano é hospitaleiro, pacato, simpático,etc.. Estas palavrinhas mais não são que uma espécie de ópio para perpetuar a nossa subserviência, como já havia anotado Ungulani Ba Ka Kossa.
Não nos devemos fiar nessas palavras de mel misturadas com fel, temos que ser donos do nosso destino, não precisamos que nos venham dizer o que somos para nos conhecermos. Ora! Para dizer a verdade vejo nisso uma ironia cíclica, na Europa os Portugueses são também reconhecidos como povo hospitaleiro, e com esta palavra mágica os povos da Europa Central e os Nórdicos vão curtindo sossegadamente as belas praias do Algarve tendo um Lisboeta como guarda-roupas ou como babysiter.
Mas, voltemos ao BIM. Tive que fazer pesquisas para entender como é que o tal de Dr. Luís Palminha do BIM, nascido na Mafalala, onde brincou aos barquinhos de papel nas turvas águas dos charcos junto ao mercado ,vem a ribalta mandar lixar um seu conterrâneo e toda a sua raça! ! ! ! ! !

Das entrevistas que fiz passei a saber que afinal de contas a questão no BIM é bem pior. Por exemplo, dizem que existem directores portugueses que passam o dia todo em plena coma alcoólica e só chegam ao serviço na altura da saída, aos berros como uns escorpiões assanhados. Os tipos usam e abusam dos subordinados, insultam, humilham, ferem, denodados. E, perante tudo isto o Dr. Machungo permanece surdo e imoto. Estranho hein! !
Foi-me igualmente dito que existem portugueses álcool-dependentes, que quando não tomam um copinho, estremecem que nem um carro sem amortecedores.
Há um jovem lusitano que em pleno período laboral exala tanto álcool que da vontade de vomitar aos que com ele tomem o mesmo elevador.
Chega a dar a impressão que o Eng. Jardim decidiu mandar para Moçambique os alcoólatras do BCP. Talvez seja em razão disso que nada mais fazem que berrar, vociferar, injuriar, insultar.
Retomando o nosso propósito, um colaborador da Direcção de Recuperação de Credito, chegou a dizer que o tal cliente até foi tratado com compaixão, porque os subordinados do Dr. Palminha já estão calejados, pois, já lhes insultaram as mães, as avós, as irmãs e todas as ***** da família.
Dizem que os expatriados, como são conhecidos os descendentes de Salazar, gozam dos mais elevados privilégios, os salário estão acima dos 3.500 dólares americanos e para pessoas que nem sequer concluíram o Liceu.
Enquanto que um Moçambicano de melhor formação tanto académica quanto profissão, sob o tal regime caricato de exclusividade de funções, aufere menos de 8.000.000 de Mt! !!!!!!!
De mais a mais, os salários estão no segredo dos Deuses, ninguém sabe quanto vence o colega. As subidas de categoria e de salário dependem muito do quão os trabalhadores escovem os chefes, chegaram a dizer-me que existem Moçambicanos que a custo de uma promoção e de preservar o emprego, são obrigados a curvar as costas, afastar as pernas e deixar o orifício traseiro a mercê de muitos chefes gay do BIM.
Para além dos salários chorudos que esses tugas auferem, todos eles vivem nuns condomínios luxuosos: Vila Manica e Pink Village.
Nestes condomínios tudo está a cargo do BIM, a alimentação, o telefone fixo, o telemóvel, o combustível dos carros e as passagens para Portugal sempre que lhes der na tola. Isto para não falar de subsídios e assistência para a família.
Há quem diga que o que o BIM gasta com um expatriado dá para custear todos os encargos ao admitir 10 mocambicanos recém-formados na Universidade!
Não compreendo como é que isto é possível! !! Tive que conversar com alguns funcionários seniores do Banco Austral, estes disseram que o ABSA, accionista maioritário, tem um número ínfimo de Sul-africanos em Moçambique, e que a maior parte deles são pessoas de elevada formação tanto académica como profissional.

No Banco Austral existe 1 membro do ABSA para 300 Moçambicanos. Isto é uma antítese com o que ocorre no BIM, onde existe 1 membro do BCP para cada 20 mocambicanos! ! !! praticamente todas as Direcções e secções são comandadas por Portugueses cuja formação é muito duvidosa.
E mais, a maior parte deles passa a maior parte do tempo a viajar e a passear a pobre classe nos cafés de Maputo. O mais grave é que todos os anos desembarcam alentejanos, algarvios, madeirenses mandatados pelo BCP para vir ao BJM ocupar cargos e funções que podiam ser ocupados por Moçambicanos e com a mais valia de um abrandamento das despesas com o pessoal em cerca de 45%.
Para agravar o paradoxo, criaram actualmente um projecto de redução e racionalização de custos para acomodar mais um Português. Neste projecto falam nas várias medidas para poupar papel, tinteiros, etc..Uma manobra para tapar a vista dos Moçambicanos, acusando-os de serem despesistas com o material, enquanto que os custos administrativos mais graves residem nas despesas com os expatriados.
Leva-me a crer que isto é um reflexo da cultura do pobretanas: mal consegue um negócio leva a reboque toda a família mesmo que a maior parte deles estejam só a roncar. Se me permite Eng. Jardim, recomendo que reveja os critérios de admissão dos portugueses no BJM, porque o Sr. como pessoa de largos pergaminhos em matéria de gestão, não vai querer que um dia o BIM venha a decretar falência, certamente. A não ser que o Sr. esteja a cumprir uma agenda politica do governo português de redução do desemprego e da taxa de toxicodependentes, enviando toda a escumalha para África.
Os créditos aos colaboradores são um verdadeiro fenómeno. Tudo se resume a tal capacidade de endividamento, o que significa que só terá mais quem aufere melhor salário, por outras palavras, só os expatriados podem contrair empréstimo de maiores montantes. É uma verdadeira catástrofe! o madeirense recebe mais, tem maiores beneficios sociais, vai mais vezes ao café mas trabalha menos, ou melhor, finge que trabalha.
Certamente que virão muitos dizer que Moçambique não tem capital e Know-how suficiente, por isso precisa inelutavelmente de investimento estrangeiro.
Que assim seja! Mas quem tiver que investir no nosso Pais tem de ser uma nação com grande expressão na economia mundial e não aquele que é o péssimo exemplo europeu: o mais pobre, o mais dependente dos fundos de coesão europeia, com o maior índice de toxidependentes, de alcoolismo, de analfabetismo mas, paradoxalmente, o pais da Europa onde os homens mais se devotam ao cabeleireiro, manicure, pedicure.
Que desenvolvimento podemos esperar do investimento vindo de um subdesenvolvido, de um país que está sendo novamente colonizado pelos castelhanos. Irmãos! neste aspecto penso que os Angolanos foram muito melhores que nós, na terra dos mangolês só investe de facto quem vem trazer ao Pais valor acrescentado dentro da Geoestratégica económica, como corolário disso Portugal está na cauda da lista dos parceiros económicos de Angola. Sabendo disto, os tugas estão usando todos os meios para lançar as suas garras de papel sobre Moçambique: a sua tábua de salvação.

Moçambicanos! deixemos essa passividade doentia, sejamos proactivos, não aceitemos que no solo fertilizado pelos ossos dos nossos avôs, sejamos violentados por esta forma de novo imperialismo.
Compatriotas! temos a televisão, ternos os Jornais, ternos os e-mails, façamos panfletos, temos árvores para pregar mensagens, e se estes meios não servirem, temos também catanas, firamos, trucidemos, esquartejemos e enviemos pela TAP o saco com os restos mortais ensanguentados
de todos os seguidores da cultura Palminha.
Chipenenhana – um jornalista na clandestinidade
PS 1: estou resolutamente, há semelhança dos que deram a sua vida pela independência, decidido a submergir nesta luta contra a selvajaria dos descendentes de Salazar.
PS2: se o caso do Palminha não for resolvido brevemente, prometo lançar, na maior parte dos jornais, denuncias mais gravosas indicando nomes e as respectivas unidades orgânicas. E mais, estou a espera que me processem, assim talvez o povo receba mais rapidamente a minha mensagem.
Chipenenhana - um jornalista na clandestinidade"

Espero que os nossos comentadores fiquem bem elucidados da realidade africana...
__________________
GRINGO ex-combatente do Ultramar
Responder com Quote
Responder

« Anterior | Seguinte »

Currently Active Users Viewing This Thread: 1 (0 members and 1 guests)
 

Opções
Display

Regras de Criação de Mensagens
não pode criar novos tópicos
não pode enviar respostas às mensagens
não pode adicionar ficheiros em anexo
não pode editar as suas mensagens
O Código vB está On
Smiles estão On
Código da [IMG] é On
Código HTML é Desligado
Ir Para o Fórum:


Todas horas estão no fuso horário GMT. A hora actual é 11:23.

Largura do Site:

© 2007-2019 - Vai Tudo Abaixo